quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Devora

Ouvi tua melodia que me embreagou, subindo lentamente as escadas tomada por notas musicais que me envolviam sutilmente . Ja imaginei a cena, totalmente previsivel, você sentado tocando seu violão, uma melodia qualquer e eu chegando na sua sala, não há muito o que dizer, você me beija com sofreguidão, nada mais importa somos apenas eu e você . Me toca como se procurasse musica em minha alma, pra que palavras? Deixa o corpo falar da maneira mais correta que ele encontrar pra se expressar. Tira cada peça de roupa, os movimentos não são mais lentos, e se alguém entrar e flagrar tudo? Que se dane! Põem aquele aviso idiota na porta pra ninguém incomodar. Agora volta pra mim, e continua me a me despir, com seus olhos, sua boca, seu sexo . Coloca meu corpo na sua mesa, esses papéis não eram importantes? Esquece os papéis, a porta, o mundo. Fica aqui, dentro de mim e mata o desejo secreto, que se mantinha na distancia, nos olhares, no silêncio . Eu não entendi durante muito tempo até estar aqui sentada no teu colo, com tua mão na minha boca pra abafar os gemidos, não entendia como um silêncio podia ser tão pesado e tão delicioso ao mesmo tempo . Para finalizar me arrasta pro banheiro, toma um banho gostoso comigo, me segura pela nuca e deixa eu me deliciar pelo teu corpo, é provável que seja a única vez, e quando tudo isso terminar eu vou seguir meu caminho , e você vai seguir o seu, compondo uma musica sobre mim e vai me evitar como sempre evita, mas eu e você saberemos exatamente o que cada olhar significa .



'

6 comentários:

Gabriela Castro disse...

Carambaaaaaaaa flor!
Ameeeei o texto. Super sensual.
beeeijo

Deni Maciel disse...

bela textualidade.
parece q ao invés d ler eu estava assitindo.
mto mto bom..
o//
abraços e ótima kintta!
www.bocadekabide.blogspot.com

Moni disse...

uiii q delicia! deu até vontade hhehehehe bjks

o remate disse...

Faz ele de melodias dons para sedução, ainda que não soubesse... embreaga sentimentos!? Certamente quando aproximar-se melodia mudaria à apenas mais uma de amor, ao final da canção... ela que estaria com os olhos fixos seria tomada levemente pelas mãos macias com unhas pintadas de cores escuras e arrastada ao colo do músico e que fecharia seus olhos com seus dedos e tocaria suavemente seus lábios... embailavam-se num ritmo onde as roupas seriam lançadas por toda a sala levantaria seus cabelos ao ar com uma das mãos e morderia vagarosamente sua nuca para ver os pelos do pescoço arrepiados, com a outra mão taparia sua boca para suprimir gemidos e suspiros. Lança-lhe sobre a mesa, virada de bruços e torna a acariciar-lhe da nuca às coxas e dali... a toma como mulher. Se deliciarão sabendo que o silencio confiável é o mais enlouquecedor. Eles que tiveram coito em todo o ambiente se espumam no banho e sem toalhas... se secam ao calor dos novos abraços que iniciaram... Eles continuaram no mesmo caminho (cada um). Uma suave música foi composta a uma mulher de belo sorriso e de um lindo par de olhos castanhos grandes. E o segredo ficou guardado dentro dos olhos de cada um.

Ellen disse...

Oláaaa!

Texto lindo... e muito sensual! Escreves muito bem! Admiro.
Um beijo e se cuide querida!

Marjory de Oliveira disse...

Loucura loucura loucura!