quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O primeiro livro que li foi um romance achado na rua, alguém perdeu propositalmente em um banco na praia e eu tive a sorte de achar e então iniciar o prazer por livros. O desejo pela arte vem de sempre, qualquer tipo de expressão da alma sempre foi bem vinda em minha vida, e minha maior vontade sempre foi poder transparecer tudo o que sinto com palavras, quem saber rola uma melodia? Mas musica e leitura sempre estiveram presentes em minha vida. A inspiração sempre surgiu em momentos menos prováveis, e quando eu preciso despejar alguma coisa, não rola! Tem que ser ao natural como uma luz no fim do túnel sabe? Um simples olhar ou um simples amigo tocando violão, desperta alguma coisa bem la dentro e quando eu vejo tenho linhas e mais linhas prontas em minha mente, nem sempre na ordem nem sempre boas. As vezes eu preciso de um vinho, as vezes de uma boa musica e por dias eu não consigo pensar em absolutamente nada, como se houvesse um branco em minha mente e eu me tornasse vazia. Preciso sofrer. Não me inspira a ideia de um mar azul, uma praia com gente bonita. Eu gosto de frio, de nublado de coisas pesadas pra eu carregar e despejar na melhor oportunidade que tiver. Gosto de observar, entender, testar os limites. Gosto de me apaixonar,perdidamente e de maneira arrebatadora, o amor sempre é calmo e bonito, a paixão sempre traz a dor, a angustia e o fogo, consequentemente a inspiração. Vivo algumas paixões secretamente, presas em olhares e silencio, paixões que nem sempre podem ser consumadas, mas que existem de maneira clara . Queria poder pegar todo o 'mix' de sentimentos e por pra fora de alguma forma, quem sabe um desenho, um texto, uma musica. Queria poder dizer coisas simples que todo mundo sente, mas expressar de uma maneira única, uma maneira minha. Preciso de mudanças! Por muito tempo eu achei que a ideia de mudar me agradava, mas eu descobri que tenho medo, não por mim, mas percebi que as mudanças não afetam apenas minha vida, e sim todos que estão ao meu lado, e foi pensando nisso que eu vi que talvez eu goste da solidão. Preciso matar determinada vontade , mas o mesmo medo assume meu corpo e me impede de agir de maneira irracional, por mais que eu sempre tenha gostado de agir assim, e tudo isso vai me consumindo lentamente e me faz querer escrever mais a cada dia, pra quem sabe assim poder ler o que eu realmente sinto. É difícil admitir o que sentimos, os medos, as vontades. Todo mundo sabe os tormentos que carrega, mas nem todo mundo tem coragem de mostra-los ou de enxerga-los, ninguém consegue mentir pra si mesmo. Sou nostálgica, vivo presa em momentos que vivi e que foram importantes na minha vida, isso me inspira de diversas maneiras. Sou confusa, inconstante e não sei me definir, eu deixo que o dia me defina! Eu acordo nua e crua de alma, e vou acrescentando no decorrer do dia. E ultimamente eu tenho tido a necessidade maior de escrever, ninguém do meu convivo sabe da existência desse blog, não gosto de rótulos nem julgamentos, prefiro me manter "escondida", na verdade existe sim uma pessoa, mas é uma daquelas paixões de que falei, talvez se não soubesse não me entenderia e me acharia louca, uma pessoa que você confia de primeira sem motivo aparente sabe? Mas isso é outro assunto, outro post. Ultimamente ando com um misto de agonia e tesão, isso me fez perceber que a dor e o prazer andam de mãos dadas e um dia pode ser alegre e entediante ao mesmo tempo. Quero aprender a ser fria, eu deixo transparecer meus sentimentos muito fácil, não sei mentir nem ser falsa em nenhuma situação. Sou ansiosa e isso me tira a fome, o que de certa forma é bom. Ultimamente não tenho sentido fome. Essa semana eu separei meus sentimentos, e isso fez com que eu me sentisse menos culpada em relação a uma coisa, eu fiquei feliz ontem, muito feliz. Eu gosto de me sentir importante, de receber atenção e ontem eu tive tudo isso. E é ai que eu desejo a coisa errada e proibida, mas isso também é um assunto a parte. AH, muito importante, eu gosto de beber ouvindo rock. Também fumo as vezes, muito raramente. Se alguém ai resolver ir embora um dia pra um lugar bem distante pra começar a vida de novo passa aqui em casa, se alguém for a Paris me traga um presente, porque um dia eu vou com uma paixão. E se alguém entender a finalidade da postagem de hoje me explique ! Talvez eu até saiba, é a necessidade constante de me entender e me encontrar. Tenho dificuldade de jogar coisas velhas no lixo, tenho agendas da infância guardadas em algum lugar, tenho vergonha de ler aquilo, mas também não sinto vontade de me livrar delas, quem sabe um dia vai ser útil? Chega.

Sera que alguém chegou até aqui?


7 comentários:

Moni disse...

eu cheguei e li tudinho.. e fiquei pensando onde é q eu assino kkk pq sou exatamente como vc... com exceção da parte da ansiedade, pq a minha me dá vonta absurda de comer... adorei viu... bjks

Solange Maia disse...

eu também cheguei...risos...

Não jogue as velhas agendas não... elas vão ser lugares por onde você adorará passear...

ah... e achei a linda a maneira como você leu o seu 1º livro... tem poesia...

beijo Flor...

Líviany Moura disse...

Poxa amiga, vou ser sincera... Eu tentei! Cheguei até a metade... Mas ja é 1 da manhã aqui, amanhã eu termino, prometo! srrsrs

Saudades de vc no meu cantin!

Gabriela Castro disse...

Eu sei a finalidade dessa postagem. Lero leroooo!
ahuehauehuahe
Você realmente anda muito inspirada. Vamos dividir? Porque minha mente parece um papel em branco ¬¬
ahuehauhee
beeeijo

Deni disse...

que post legal
viajei bm na história
nostalgia agradavel aqui *-*
aaaah
passando pra encher o saco
desejar um ótimo fds.
e dizer q cabo verde fik
na cueca do hulk =O

bom fds....
abraço

Deni disse...

aé...sou eu:
bocadekabide.blogspot.com

Elaine disse...

Olá!
Este é um comentário-lembrete:
Amanhã, dia 20 de setembro, é o dia da Blogagem Coletiva Uma carta para mim em comemoração ao 1º aniversário do meu blog.
Como seu blog é um dos inscritos estou passando para lembrar.
Espero por você!
Elaine

Eu li tudinho e acho que somos diferentes em um ponto pelo menos: jogo coisas fora com bastante facilidade. Faz-me bem...
Bjs.