quarta-feira, 14 de julho de 2010

sobre receios

eu já deveria conhecer seus erros, suas manias e tantos defeitos. eu já deveria ter me acostumado com as milhares de diferenças e esse estúpido coração deveria simplesmente parar de se importar. eu deveria mandar todas as malditas expectativas pra longe, deveria ter feito uma limpeza na minha alma e ter me focado em qualquer outra coisa. deveria entender que é assim e nada muda.eu não mudo, você não muda. eu deveria ter pedido outra cerveja e ter acendido um cigarro na sua frente.eu deveria não ter me deixado te amar tanto e deveria ter explicado melhor como é perigoso me amar. eu não presto, eu sou chata, sou exigente, sou virginiana e vingativa. tenho opiniões mutáveis e sou terrivelmente inconstante. teimosa, estúpida, uma porta. sentimental, exageradamente sentimental. eu deveria saber que talvez seja um amor muito maduro pra tantos anseios juvenis. 
deveria saber que provavelmente meu calor não aqueceria você e eu iria me magoar, eu sempre soube que ia. por criar expectativas, por esperar demais, eu tinha certeza de que me decepcionaria. porque você é o único que faz (literalmente) meu coração disparar, minhas pernas tremerem, minha voz falhar. porque você é a minha versão melhorada, é o capitulo final do meu livro, é minha chuva, no verão insuportável, é a cor do meu mundo, é o remédio pra insanidade, o veneno contra meu tédio, o tormento nos meus dias de paz, a razão constante e inevitavelmente constante da emoção que eu vivo, é meu texto curto e direto, sem muitos rodeios pra dizer o que sente, é o filtro das minhas palavras, extensão do meu pensamento, minhas lágrimas sem motivos, e as com motivo também, é o bolo em dia de festa, é o zahir que me tira do sério, é estranhamente meu espelho, meu contrário, a justificativa de sorrisos fáceis e longos monólogos sobre coisas que eu nem sei o que são.
e por isso, justamente por isso, eu deveria saber que seria sempre complicado, exatamente como eu praguejei em um dia na praia, que te queria do jeito que você era e que eu dava conta, jurava que dava conta (eu do conta), mesmo que eu queria te esquartejar, eu simplesmente não consigo entender pra onde fogem todas as minhas dúvidas e medos quando eu te vejo sorrir pra mim, ou quando você me cobre com o seu "xalinho", quando fica parado me olhando, quando diz que me ama com um sorriso no  canto da boca, enquanto a gente transa, ou faz amor, quando se encolhe e se revela tão frágil e me pede proteção, quando está longe e se faz de forte pra eu ser forte também, quando chora ao me ouvir falar coisas bonitas, quando mente só pra me fazer surpresa, quando me obriga a te pedir em casamento como me obrigou a pedir em namoro.
e eu continuo aqui, vendo monstros onde só existem pequenas sombras, tentando me fazer entender que é tudo normal, que obstáculos estão ai para serem ultrapassados, que eu posso me expor sem medos, que não vai sangrar, que eu posso tirar a poeira do porta-retrato e colocar uma foto nossa, que os detalhes são enormes bobagens e que nada é mais importante do que um abraço demorado, sincero e apertado.

então, por favor, eu preciso entender que eu sou idiota e medrosa demais. preciso entender que eu já superei uma porrada de coisas e que eu preciso viver o que me é dado pra viver, e se eu me perder, sei bem o caminho de casa, conheço as trilhas e atalhos, tenho abrigo seguro e não, eu não morro. só morro se eu me deixar sufocar com tanta bobagem e impedir esse mix de cores que você me proporciona. 


ah, eu ia me esquecendo. 3 meses, mas na verdade quase um ano. te amo muito, meu oso

5 comentários:

Mikaelly Andrade... disse...

Aí que lindo. Isso me fez chorar, pq vc descreveu meu relacionamento tão bem? Pq vc me fez personagem dessa sua história mesmo sem saber, eu deveria saber q mais cedo ou mais tarde minha história estaria descrita por uma pessoa querida porém distante de mim...

Juliana Nunes disse...

Aiiii Meu Jesuuus..
Não tenho absolutamente nada pra comentar.. mas caracaas as coisas que escreve, são profundaas..! E bem intensas..!

Minha editoraa preferidaa xD

Juliana Nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Melanie Brown disse...

Amar tendo consciência de todos os defeitos... Que grande qualidade tu tens heim moça?! Muito ti admiro por essa nova descoerta!

Beijossssssssssss
E que as datas ti
Inspirem mais e mais!!!!!!

;D

Erica Ferro disse...

A paixão é essa coisa louca mesmo, essa coisa descontrolada, enigmática e intensa.

Boa sorte com isso, que a confusão passe e que você volte a viver na calmaria da paixão.

Beijo, flor do dia.