quarta-feira, 4 de agosto de 2010

sobre superar.

Reaprender o caminho pra casa não foi algo tão simples
Nos primeiros dias eu me perdia nos meus passos sem você,
Eu mal sabia o que fazer.

não sei bem se foi a chuva, a conversa com uma amiga ou um blog que visitei. só sei que de repente eu comecei a ouvir fresno (sim, eu às vezes ouço fresno) e me bateu uma nostalgia ferrada. e eu lembrei de como foi difícil aprender a caminhar sozinha. lembrei que, naquele ano de 2007, eu pensei em morrer e realmente quis isso, porque parecia a única solução. porque, como a Intense disse, um pedaço de mim havia sido arrancado, sem dó, sem explicações e sem volta. e mesmo com a pouca experiência, eu tinha certeza de que eu nunca mais sofreria da mesma forma, que nunca mais alguém ia conseguir me atingir tanto como ele me atingiu. e é verdade. eu já vivi outras coisas, já me machuquei algumas outras vezes, mas nunca se comparou a dor daquele 2007. e todas às vezes que qualquer coisa ameaça doer, eu lembro daquela marca e digo com orgulho - eu sobrevivi-. eu me lembro de chegar em casa e chorar até não conseguir respirar. e então, rezar e pedir pra morrer, porque parecia que eu não tinha mais condições de me desprender e continuar. parecia que eu ia amar pra sempre. e doeu tanto que talvez eu tenha me acostumado com a dor. doeu tanto que um dia anestesiou, sabe? e eu voltei a viver, a sorrir, a comer. e então, parou de doer. minha vida já mudou tantas vezes, e hoje, eu posso dizer que estou feliz. e que aquela dor só me serviu pra aprender a superar. morrer algumas vezes e renascer e por mais que pareça que a dor é eterna, um dia você acostuma e para de latejar. não teria conseguido sem os meus amigos, não teria conseguido se não fosse forte  (obrigada, você me tornou muito mais forte) e sem dúvidas, eu não estaria aqui, feliz com o oso se não tivesse sofrido tudo aquilo no passado. 


Quase dez anos depois, eu consigo entender
Que eu tinha que continuar fosse com ou sem você
Nem sei como cheguei aqui
Mas saiba que eu estou feliz
A sua falta quase me matou,
Hoje eu tenho tudo o que eu sempre quis.

11 comentários:

.Intense. disse...

Flor, se vc fala sobre superar, é vc sim a pessoa certa pra me dizer: a gente esquece esse sofrimento, e todo o amor que tem por trás dele, e volta a amar um dia?

=~


É a resposta que eu ainda não tenho...te mandei uma dm ontem, te dizendo pra dar uma olhada no blog e ver se entendia o q estava acontecendo - tou achando que vc tem bola de cristal, ahauhauhauha..será que funcionou? Aquele post saiu sangrado e novamente minha cabeça bagunçou...é pior ainda qdo a gente sabe o q quer.
=/

=*

.Intense. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mikaelly Andrade... disse...

É preciso saber superar certas coisas, para poder dar continuidade a outras...
bjos flor

Melanie Brown disse...

Ô alívio moça, em saber que HOJE voce é feliz, sim, realmente o que importa é o hoje, fiquei imaginando aqui o quanto foi dificíl pra ti, sei que nao consegui chegar nem no início. Parabens pela tua força menina!!Deixe as lembranças aflitivas no passado!!

Um grande Abraço Querida!

Paula Oliveira disse...

Oi querida flor...
Há um tempo atrás eu assisti ao clipe dessa música que você citou e me senti tocada profundamente ... "Hoje eu tenho tudo o que sempre quis", embora tenha quase morrido com a falta de algo ... é muito forte (além de gostar muito do timbre de voz do cantor)...
Que bom é superar, não?
Que bom é voltar a ser feliz ... adoro seus textos!

Bruninha disse...

PERFEITOOOOOOOOOO

Lendoo esse relatooo eu senti, passei por isso, não há dez anos como vc, mais ha um ano e também CONSEGUI todo mundoo pode conseguir!!

Hoje nós podemos ajudar essas pessoas!!

Deus nos abençooou

Tô te add e seguindoooo

bjs

Gabriela Castro disse...

Eu, ainda hoje, às vezes digo a mim mesma "queria morrer só um pouquinho". E estamos aqui, inteiras, mesmo que muitas vezes aos pedaços, mas sem desistir nunca. Te adoro, flor. Obrigada pela força que tem me dado.
beijãooooooo

Talita Oliveira disse...

Flor, parabéns pela força que teve nessa época para superar!

Adorei o texto. A música é linda. Gosto demais!!

Beijos!
(=

Lívia disse...

Flor, há bastante tempo venho lendo seus textos... a identificação foi imediata, e as vezes acho que fui eu que os escrevi! E esse texto, me fez voltar a quatro anos atras, e relembrar tudo o que passei. E também, sobrevivi. Somos fortes o bastante pra isso, sempre!

Como diria Clarisse Lispector, "Deixo-me sempre cortar, e a voltar sempre inteira."

Um beijo grande no seu coração!

Tácila R. disse...

Flor querida, me identifico muitos com suas palavras sabe...
Esse lance de superação tem rondado os meus dias, e os meus posts. rs'
Aprender com o sofrimento e com os erros é algo fundamental para todo e qualquer ser humano. Porém, poucos tem o direito de bater no peito e dizer "Eu superei!", e tenho certeza que você está entre estes poucos. Pois só quem chora até não conseguir respirar, absorve todo o aprendizado.
Amo visitar esse seu cantinho lindo!
E obrigada por suas constantes visitas no meu blog também.
Bjsbjsbjs Florzinha!

Erica Ferro disse...

É verdade, minha querida. Por mais que doa, por mais que seja intensa a dor, um dia ela acalma e a gente pode recomeçar.

Beijo.