quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

maysa mandou lembranças.

nós, as pessoas, tem - temos - sentimentos.

daí que seria lindo se a gente pudesse se relacionar com o mundo sem esperar nada em troca. levar a vida numa nice, ser do bem, de luz e desprendidos. mas infelizmente a tendência é querer que tudo corresponda como esperamos e tenho certeza que todo mundo aqui sabe, não é bem assim.

disseram pra menina que ela era excesso de tudo, sentimental demais. acho que ela ficou com cara de boba do tipo - eu só sei viver, amar, assim. e que mal há nisso? - acho que quem proferiu tal absurdo (embora realidade) não se deu conta de que ela lidava com um sentimento novo demais, bonito demais, grande demais. e se ele não sentia, ou não sabia corresponder na mesma frequência, tudo bem. mas não venha dizer como e em que dose a gente deve gostar de algo ou alguém. se ela pudesse dizer alguma coisa, acho que seria : só aceite que eu ame assim e corresponda como puder, contanto que seja verdade. porque não importa qual seja o tamanho do sentimento do outro, só importa que seja sincero.

só que às vezes, a gente percorre estradas, luta com dragões e fica cheio de marcas. aí se fecha pro mundo, vive assustado e cria uma capa de proteção, t.o.d.o mundo é assim, só que em escalas diferentes. como diria paulo coelho (que a maioria de vocês odeia e eu amo ♥) "não se pode julgar um amor presente pelo amor passado" e isso se aplica à tudo na vida. então, como algumas pessoas se fecham demais, fantasiam demais e são individualistas demais, eu decidi, que por hoje e mais alguns dias - enquanto eu conseguir - vou ser simplesmente indiferente.

ou como disse muito bem a Intense, me fazer de árvore.


10 comentários:

Michele disse...

Já me fiz de árvore muitas vezes e ainda prefiro observar à falar. Sondo primeiro o território, vejo até onde posso entrar e aí sim, me permito revelar um pouco mais àquele alguém!

Um beijo, querida!

Ill Circus disse...

Sabe que eu sou fechada demais, né. Fechada, fechadíssima. Meu consolo é saber que, no fundo, todo mundo tem ao menos um pouco disso. Aprendi que com meus sentimentos lido eu, que as pessoas - muitas delas - tem medo ou insegurança ou perderam a esperança de sentirem algo sincero. O problema é que quanto mais sente, mais sofre. Seu texto ficou ótimo :*

Naty Araújo disse...

Nem tudo é como a gente quer, já diria os mais antigos, mais atuais.
Enfim.. os humanos, mas se bem que é a coisa que eu mais detesto ouvir rsrs.

Poxa, que saudade eu tava de vc.

Um beijão, flor.
Sexta passou, vc pecou mto? rs

Jacqueline Soares disse...

~'. Eu sei muito bem ser fechada, mas também ser aquela totalmente aberta e derretida.
Adoro minhas infinidades, mas acho que muitas vezes sei o momento certo de usar.
Eu nunca me fechei pro amor...
Concordo quando se diz, "não se pode julgar um amor presente, pelo amor passado".

Beeeijos, flor!

Ju Fuzetto disse...

Sabe...às vezes me fecho. E por dentro me brotam silêncios. Observo e nada declaro. Talvez seja uma forma de sentir...


Beijos Lindo seu blog!

Melanie Brown disse...

Acredita que eu super protego filhos que nem sei se terei?! O negocio ta serio, e eu ja sofro com isso, mas to tentando melhorar!

Beijos milha flor!!!!!!!!!!!
Se eu resolver partir pra agressao fisica ti chamo!!rs Sei bem onde encontra-la...

Michele disse...

Linda, meu blog nem de longe serve como manual, até porque percebo que acerto e erro todos os dias. Ser mãe é uma constante experiência e aprendizado! ;)

Mas agradeço demais seu carinho, sempre tão doce, tão querida1

Beijo grande!

Jacky Simionato disse...

Nossa.. eu sempre prefiro observar...
mas falo muito tbm.. hahahaha...
Saudades de passar aqui flor.
Ando tão atolada =/
beejo grande e obrigada pela atenção no meu blog =)
beejo beejo

Gabriela Castro disse...

Amorrr, acho que foi um dos melhores textos que você já escreveu. Lindo!!! Saudade imensa de vc!!!
Te amo!
beijos

Ill Circus disse...

E a vida em Sampa? Vê se não some, menina! Senão eu já acho que você ficou presa no horário de pico do metrô hahaha