quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Sobre procrastinar e outras coisas.

Procrastinar 
Transferir para outro dia ou deixar para depois; adiar, delongar, postergar, protrair.

Eu jurei que minha vida seria diferente. Que em 2016 eu ia parar de deixar tudo pra depois. Começar a correr, escrever, desenhar, aprender a bordar, investir nos cursos que tenho feito, divulgar meu trabalho de design de sobrancelhas, acordar cedo, assistir x filmes e séries entre tantas outras coisas, mas tudo que eu consigo é uma cobrança enorme (de mim e dos outros, acredite.) e ondas de ansiedade que me fazer tremer de medo. Da vontade de gritar bem alto que eu sou uma fraude, que não consigo levar nata até o fim e só quero ficar encolhida no meu canto, namorando minhas crises em paz, sem cobranças. É tão maluco que eu consigo enrolar pra fazer coisas que inclusive me dão prazer. Tá sendo muito mais fácil sentar no sofá, ligar a tevê e deixar o dia passar sem realizar absolutamente nada. Tudo é um parto sangrendo e dolorido, até comprar pão. t.t

Além disso meu humor anda vergonhoso. Sou naturalmente uma pessoa grossa, nunca neguei. Mas também sou amável e acessível -juro-, só que ultimamente não to sabendo lidar comigo mesma. Tudo é extremo, tudo me irrita, qualquer resposta atravessada é levada diretamente para o banho, para que eu possa disseca-la até encontrar uma razão satisfatória para uma briga. Estou no inferno astral, mas sem aniversário por perto. E com uma sensação de isolamento e incompreensão que não tem motivos.

Eu espero muito que minha vibe se eleve, que eu fique bem e encontre prazer em realizar minhas tarefas, prazer na companhia do outro, prazer comigo mesma (ui). Não há nada pior do que os sentimenos que cercam uma crise de ansiedade, nem as cobranças que faço comigo. Tentar descobrir os motivos que me levaram a estar nesse estado também é bastante desagradavel, porque na real eu não tenho motivos t.t

Alguém aí que me lê tem alguma dica ;)?

2 comentários:

Pan disse...

Amiga, MIABRAÇA!
Eu tô exatamente assim! A família reclama que eu não visito, marido reclama que eu não tenho vontade de nada, e tudo que eu quero é deitar. Eu programo o meu dia baseada em quanto tempo vou ter pra dar uma deitadinha e cochilar.
Não tenho dica do que fazer porque eu também não sei o que fazer, só sei que eu faço planos de mudar, ser produtiva no trabalho, correr todo dia, me alimentar melhor, e quando chego em casa eu só quero pedir uma pizza e adivinha? Deitar.
Help.

Erica Ferro disse...

Crys,

Vou basicamente dizer o mesmo que a Pan: MIABRAÇA! Porque, velho, tenho me sentido assim também.
Esses dias a minha ansiedade está em alta e eu nem estou com nenhum motivo realmente relevante pra estar assim, o que me deixa ainda mais com raiva de mim mesma.
Queria estar lendo mais e vendo meus filmes e séries desejados, afinal são coisas que me dão prazer, mas a preguiça me vence e o que eu mais tenho feito nos últimos dias é dormir muito. Sempre fui do time que acha que dormir muito é perda de tempo. Deve-se dormir apenas o necessário pra ter uma vida saudável, sempre me disse isso. Só que ultimamente, amiga, virou pra "deve-se dormir o máximo que puder...". Acaba que passo meus dias sem fazer nada de muito útil.
Acredito que sempre vão existir dias assim, nos quais estaremos cansadas fisicamente e mentalmente sem motivo, dias em que estaremos sem vontade nenhuma de levantar da cama e fazer o básico do básico.
É bom saber que não estamos sozinhas, então conta com a Pan e comigo nessa odisseia em busca de dias melhores.
Um abraço!